sábado, 21 de setembro de 2013

requiém

eu não sei se
a tristeza nasceu quando deus viu o homem ou quando einstein viu a bomba. eu não sei se
a tristeza nasceu.
a tristeza é maior que os confins do inferno e maior que a nossa esperança de nunca chegarmos lá
mas os confis do inferno estão
por toda a parte.
a tristeza é o ônus e o bônus.
a tristeza é a melhor instituição de ensino que nunca foi fundada e todos nós permanecemos nela por tempo suficiente para a acharmos benéfica,
contudo,
você irá encontrar quem a veja como anomalia. estes são a nossa maior referência do que é raso. estes são os que não pensam
que faço eu com a minha vida?
ou
quem seria a primeira pessoa a me ver morto caso explodisse minha cabeça?
claro,
isso não significa que os tristes são melhores - na cama, no groove. isso só significa
o que você quer que signifique, oras.*
talvez a felicidade me visite por quatro ou cinco dias, ou durante os poucos minutos conscientes antes de morrer.
talvez eu a receba sem saber que felicidade corrói rápido demais.
somente o véu triste possui instinto de proteção.

não consigo pensar na forma exata de um metro quadrado em qualquer canto do mundo
em que não haja tristeza.
o mesmo, certamente, não seria um bom lugar para estar,
ou tomar uma cerveja,
ou ter pensamentos como
este.

Um comentário:

  1. Vontade de guardar esse texto pro resto da vida.

    ResponderExcluir