terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Jimi Hendrix e Janis não morreram aos vinte sete. Você os encontra em livrarias, discotecas, playlists e numa luta eterna de patente em inúmeras insanidades empilhadas por aí.
Você não vai morrer aos vinte e sete, eu te escrevi.
Mesmo que todo esse monte de papel rabiscado e amassado desapareça, você continuará vivo. Alguém te leu, alguém se lembrará de você em algum momento tenso e denso, mesmo que não faça ideia de qual seja o seu nome, encarnado nos olhos de outra pessoa, em outras memórias completamente distintas das minhas com você, minha inspiração de origem.
Dá para entender?
Lamento frustrar sua ideia de bater as botas, sair à francesa - ou seja lá como queira chamar - aos vinte e sete. É bonita, desafiadora e trágica, mas você não vai.
Si un escritor se enamora de ti, nunca morirás.
Você é a minha lenda viva.
Ou só mais uma das.

(Yasmin Diniz)

2 comentários:

  1. Você escreve absolutamente bem. Não poderia deixar de agradecer por compartilhar isso conosco. Nunca vi alguém escrever como você, pode ter alguém parecido ou no 'sinonimato', mas nunca, em hipótese alguma, igual. Igual da forma que eu leio, do mesmo sentimento. Obrigado Yasmin, por tudo. Não pare, por favor, não omita nada que esteja preso e que te devore, é encantador ler as suas blasfêmias da vida.

    ResponderExcluir
  2. yasmim você acaba comigo.

    ResponderExcluir