quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Essas horas em que o passarinho azul tenta voar são as piores. Não sou Charles Bukowski, minha estrutura emocional não chega sequer perto daquele ombro armado. Uma merda. Tudo é um grande morango bonito, apetitoso e podre. Nunca fui parte remota, não há diferença entre as minhas diferenças com as de ninguém. Tudo uma cópia da cópia da cópia da cópia e infinitamente uma cópia da cópia, já dizia Durden.
Todo mundo é louco, ninguém nunca descobriu remédio pra isso.
Morreremos todos da mesma loucura.
Meu pai é um bosta, minha mãe uma coitada e eu sou só mais uma.


(Yasmin Diniz)

Nenhum comentário:

Postar um comentário